As Giracas

As Giracas chegaram em busca de folhagens altas, água fresca, uma sombrinha e, se possível, de ser um chocalho com muita baba de bebê. E depois brincadeira de criança, talvez virar um dos brinquedos favoritos tipo o Woody foi do Andy, até essa crionça virar um adolescente interessado por música e natureza. Daí talvez vire instrumento musical em mãos habilidosas num show de brasilidades ou brasileirisses por aí... E depois uma peça de decoração em uma sala chique, uma dessas peças que nunca param quietas no lugar durante almoços de domingo com família e amigos ou festas regadas a vinho e whisky bom, porque todo mundo vai querer pegar e sentir o cheiro do Freijó, o toque do cachecol de Peroba Rosa, e o som dos colares de Roxinho e das outras madeiras desconhecidas, enquanto brincam com a a girafinha.

A Giraca (Giraquinha pros mais chegados) foi inspirada em todas as vidas novas que chegaram e as que vem por ai pra nos fazer derreter de um amor inexplicável que só um neném consegue inspirar. O som dela é algo parecido com as matracas nas apresentações de Bumba meu Boi em São Luís. Por isso o nome Giraca - girafa e matraca numa só.

Todas as Giracas são fortemente treinadas, e ao fim desse treinamento passam por uma prova extensa que tem que ser gabaritada de primeira. Se passarem, fazem o juramento e assinam o Código de Conduta das Giracas, que estabelece a lealdade e dedicação vitalícia à proteção, felicidade, inspiração e saúde do proprietário.